Arquivo de outubro, 2010

Uma palestra sobre cineclubismo e a exibição de três curtas nordestinos marcam o lançamento oficial do Projeto Cine Mais UFS nesta quinta-feira, dia 4 de novembro de 2010. O Cine Mais UFS é um projeto de extensão da Universidade Federal de Sergipe (UFS) em parceria com o Programa Cine Mais Cultura, do Ministério da Cultura (Minc). Com o apoio do Minc, através da cessão de equipamento de exibição e filmes da Programadora Brasil, o projeto se concretiza em um cineclube voltado para a educação audiovisual.

Toda quinta-feira, sempre às 17hs, alunos, professores e qualquer pessoa da comunidade pode assistir a obras cinematográficas de destaque. Na sequência da exibição, abre-se para o debate, onde entram em discussão questões relativas tanto à linguagem cinematográfica quanto aos conteúdos abordados.

Mensalmente, a estrutura da programação é a seguinte:

Primeira quinta-feira do mês: Cinema Brasileiro – ficção.
Segunda quinta-feira do mês: Documentário.
Terceira quinta-feira do mês: Cinema Brasileiro – ficção.
Quarta quinta-feira do mês: Cinema Mundial.

A ideia é ampliar o repertório de conhecimento cinematográfico dos alunos, em especial os de Comunicação Social, com ênfase para o Curso de Audiovisual. Afinal, não há como produzir bem obras audiovisuais, aquele que não conhecer a fundo sobre cinema. As exibições, que começaram no mês de agosto, ainda acontecem em uma sala de aula. Mas a previsão é de que agora em novembro o projeto já tenha a sua sala de projeção no Campus de São Cristóvão.

Coordenado pela professora do Departamento de Comunicação Social (DCOS) Ana Ângela Farias, o projeto tem mais de 10 alunos diretamente envolvidos, todos bolsistas de extensão (entre remunerados e voluntários) do projeto PIBIX. Além das projeções semanais, o projeto prevê a produção de vídeos sobre análise crítica da mídia, grupo de estudo sobre mercado e cinema, e programa de rádio sobre música e cinema.

Na próxima quinta, no lançamento oficial, Rodrigo Bouillet, Coordenador de Rede do Programa Cine Mais Cultura, fará a palestra sobre Cineclubismo, mostrando a função social dessa prática, em especial para a disseminação do cinema brasileiro. Também participará do evento a coordenadora do Núcleo de Produção Digital Orlando Vieira, Grazielle Ferreira, que vai falar sobre o Circuito Cinema Livre, que reúne os cines sergipanos em uma grande rede cineclubista.

Em seguida, serão exibidos três curtas nordestinos premiados nos últimos anos: Vida Maria [Marcio Ramos], Recife Frio[Kléber Mendonça] e Chegança [Marcelo Roque].

O que: Lançamento do Projeto Cine Mais UFS
Quando: quinta, 04 de novembro
Hora: 16hs
Local: Auditório do CCET (próximo ao DCE)

Realização: Curso de Audiovisual – Departamento de Comunicação Social – UFS
Parceria: Programa Cine Mais Cultura (Minc)
Apoio: Núcleo de Produção Digital Orlando Vieira e Pró-Reitoria de Extensão

Anúncios

‘Aos Ventos que Virão’ começa a ser filmado dia 15/11
O longa-metragem conta a história de Zé Olímpio, um ex-cangaceiro que foragido de Poço Redondo reconstrói a vida em São Paulo
Já está a todo vapor a pré-produção do filme de Hermano Penna ‘Aos Ventos que Virão’, que começa a ser rodado dia 15 de novembro em Poço Redondo. O longa-metragem conta a história de Zé Olímpio, um ex-cangaceiro que foragido de sua cidade reconstrói a vida em São Paulo. Tempos depois ele volta a Poço Redondo para cuidar de sua herança e se envolve com a política.

Neste novo filme Hermano se utiliza de uma velha história sergipana, rica de símbolos e significados para construir uma narrativa épica que fala às nossas mais profundas emoções e inquietações. É uma história que fala de justiça, de vingança e sobretudo da esperança em dias melhores. O personagem central do filme será vivido pelo ator Rui Ricardo Diaz, que protagonizou o longa ‘Lula o filho do Brasil’.

Com parceiros como Petrobrás, Nossa Caixa, Banese, Governo do Estado, Energisa, o filme ainda está captando recursos e precisando de apoio da iniciativa privada local, já que 80% da história acontece em Sergipe. Os empresários precisam patrocinar projetos aprovados pela lei do audiovisual, que abate 100% do valor patrocinado no imposto de renda do patrocinador, além de demonstrar que a empresa participa e apoia a cultura e a produção cinematográfica nacional.

O longa-metragem vai proporcionar maior visibilidade ao nosso estado, gerar emprego e renda para os sergipanos: são atores, figurantes e equipe técnica, além da população local que se beneficiará com o projeto direta e indiretamente. O filme será exibido em salas e festivais de cinema de todo o Brasil e até de outros países.

Fonte: Cultura -Infonet (26/10/2010 às 09:42)
http://www.infonet.com.br/cultura/ler.asp?id=105385&titulo=cultura

NPD produz curta ‘Do outro lado do rio’

Publicado: 27 de outubro de 2010 em Acervo Kipá
Câmera na mão e muita criatividade. Foi assim que os alunos do Núcleo de Produção Digital Orlando Vieira, Aracaju-SE | Programa Olhar Brasil gravaram no período de 9 a 16 de outubro, o curta-metragem ‘Do outro lado do Rio’. A iniciativa faz parte do curso de Realização em Audiovisual promovido pela Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Esportes (Funcaju) | Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA), em parceria com a Secretaria do Audiovisual | MinC.
Os alunos trabalharam conjuntamente, em tempo integral, com a dedicação que o cinema exige. As gravações foram orientadas pela equipe do Instituto de Cinema e Vídeo de Londrina (Kinoarte), composta pelos professores Anderson Craveiro (direção de fotografia), Bruno Gehring (produção), Felipe Almeida (direção de arte) e Rodrigo Grota (direção e roteiro).

‘Do outro lado do rio’

O curta conta a história de um pescador embrutecido pelas circunstâncias da vida e retrata o dia a dia com sua filha, uma menina tímida e cheia de sonhos. A gravação foi feita em Aracaju e na Barra dos Coqueiros. Segundo Anderson Craveiro, diretor de fotografia, a história é muito sensível. “Encontramos o roteiro perfeito, o seu Dodó (ator do curta) é uma personalidade verdadeira, um homem verdadeiro. Demos muita sorte”, declarou.

Para Rodrigo Grota, diretor e roteirista, foi mais que sorte. “Fomos abençoados, isso sim. Durante as gravações tudo pareceu se encaixar, desde a interação entre o seu Dodó e a Thaís (atriz do curta) até as lindas paisagens da cidade. Nós todos fomos muito, muito abençoados”, completou.

Seu ‘Dodó’, um homem poético

Pescador e professor formado em Letras, seu Dodó é uma figura cativante, sensível e de extrema compreensão sobre a importância do cinema. “ Sou um homem simples, amo a vida e gosto de andar descalço na areia da praia. Ser livre. Era meu sonho fazer um filme. Essa história é a minha vida e de muitos outros pescadores. Não existe mentira nisso. E o cinema não mente, certo?”, brincou.

Resultado

A alegria também foi compartilhada pelos alunos do Núcleo. Eudaldo Júnior ficou encantado com a experiência vivida durante as aulas. “O curso foi uma inspiração, o trabalho ficou lindo. Sempre desejei trabalhar na realização de filmes. A experiência foi maravilhosa. Quero fazer mais cursos, este foi o primeiro no Orlando Vieira”, disse.

Já Priscila Reis, pela segunda vez no NPD, afirma que a realização do curta superou as expectativas. “O curso foi lindo, a turma esteve empenhada, nunca vi tanta dedicação a uma causa. Aprendi bastante, ajudei na produção de um trabalho incrível. Isso sim é inspiração”, salientou.

O curso deixou em todos um misto de orgulho e saudade. “Orgulho da qualidade e mestria com  as quais os professores orientaram a turma. Saudade do clima eufórico e criativo das gravações. Mais um sucesso do NPD, realizado graças à dedicação e entrosamento de toda a equipe”, ressaltou a coordenadora geral do Núcleo, Graziele Ferreira.

NPD grava “Aracaju em Movimento”

Publicado: 27 de outubro de 2010 em Acervo Kipá

Explorar a dimensão poética de Aracaju. Esta foi a proposta do curso ‘Aracaju em Movimento’, promovido pela Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Esporte (Funcaju), da Prefeitura Municipal de Aracaju, através do NPD Orlando Vieira, Aracaju (SE) Programa Olhar Brasil, da Secretaria do Audiovisual | Minc.

O curso, que aconteceu de 16 a 18 de outubro, em tempo integral, foi ministrado por Rodrigo Grota, cineasta, escritor, jornalista, crítico de cinema, presidente-fundador da Kinoarte (Instituto de Cinema e Vídeo de Londrina) e vencedor do prêmio de melhor Direção no Festival de Gramado 2010. Durante as aulas, os alunos tiveram o privilégio de gravar os pontos mais belos da cidade, a partir de diversos ângulos.


Liberdade

Sem roteiro, a turma produziu com total liberdade criativa, deixando a imaginação e as belezas de Aracaju guiarem as lentes da câmera. Para Maíra Lima, aluna do curso, o espírito instintivo marcou a experiência. “Aprendi muito, o contato com a câmera é importante dentro de um curso como este. Estivemos muito empenhados, numa parceria linda. Mas o bacana mesmo foi a gente sair filmando com a imaginação. Foi muito especial”, declarou.


Locações

Praças, ruelas antigas, becos e paisagens cinematográficas foram o cenário para o curso. Segundo Rodrigo Grota, as imagens gravadas representam bem os elementos poéticos de Aracaju. “A turma conseguiu ter uma visão muito criativa, gravou coisas lindas. O resultado ficou muito bacana”, disse.

Fonte: NPD grava “Aracaju em Movimento” (NPD Orlando Vieira | Aracaju-SE)